quarta-feira, dezembro 01, 2010

Assalto ao Caramulo

Finalmente a data da Invernal de BTT Cidade da Guarda não coincidiu com o Assalto ao Caramulo. Em 2008 foi no mesmo dia, em 2009 calhou um dia a seguir ao outro e este ano já teve dois dias de intervalo. A partir do momento que as datas estavam marcadas, combinei com o Ricardo Marques que logo começou a orientar a logística para os assalto a partir de Viseu.
Ainda no ultimo dia do "nosso" Novembro desafiei o João Pedro para alinhar  ao assalto do dia 1 de Dezembro que alinhou de imediato.

Às 5:30 saí do quentinho muito quentinho, para um pouco antes da seis da manhã estar fresquinho à porta do João no Tortosendo. Às 6:00 estávamos nós a caminho de Viseu. Fizemos somente uma paragem (na Guarda) para eu ir buscar a minha Lolita.

Chegámos a Viseu a casa do Ricardo cerca das 7:30 e às 8:00 estávamos  prontos para o assalto a pedal. Assim em Viseu, a nossa frente de ataque era composta por nós os três e mais três Biriattus, o Rodolfo, o Sérgio e o David. Mais tarde em Vila chã do Monte alistou-se o Rato da lezíria que veio directamente de Santarém.


A primeira surpresa do dia foi os Kms de ciclovia que existem para estes lados. Sabia da existência delas, mas não fazia ideia dos Kms que já estão aqui "configurados" acessíveis a qualquer pessoa. 
Um exemplo a seguir em muitas zonas do país onde antigas linhas férreas desactivadas, deixam de estar ao triste abandono e têm assim um aproveitamento muito útil, como fizeram aqui nesta zona com a linha do Dão e a linha do Vouga.


Depois de meia dúzia de Kms pelas ciclovias dos arredores de Viseu, apanhamos o Rato em Vila Chã do Monte e completou-se assim mais um batalhão para o assalto do dia.

 O grupo todo à passagem por Vila Chã do Monte:
Rodolfo, Rato, Ricardo, João Pedro, David, Sérgio e Tiago


Assim que o nevoeiro começou a desaparecer começámos a avistar a neve existente no Caramulo. A previsão bateu certo, algum nevoeiro e alguma chuva no inicio da manhã e a partir do meio dia o nevoeiro iria destapar o Caramulinho.



A nossa investida não foi propriamente simples. Poderíamos ter contornado a Sul o maciço da Serra do Caramulo por Tondela ou mesmo Campo de Besteiros para depois subir, mas a verdade é que este percurso que o Rodolfo enviou ao pessoal era sem duvida mais interessante, pois fomos direitinho à serra e fizemos a nossa aproximação ao Malhapão de Cima (aldeia do ponto de encontro) sempre por serra.


Começámos a ganhar altitude a caminho de Fornelo do Monte, uma aldeia já pertencente ao concelho de Vouzela.




Em Fornelo do Monte, a subida acentuou-se e o piso começou a ficar mais "irregular", mas a verdade é que o gozo começou aqui, por várias razões, pelas vistas que desfrutávamos, pelos trilhos mais técnicos que começávamos a ter pela frente e pela neve que começava a aparecer e a dificultar a progressão.


Calçada romana à saída de Fornelo do Monte

Fornelo do Monte



Progredimos cerca de 3 Kms calçada acima até à primeira crista onde agora "reside" um parque eolico. Ficou desde já agendada uma investida para estas bandas no tempo das mais pedras secas, pois encontrámos aqui uma boa subida com pedras molhadas que será muito fixe de fazer com tempo bom.






Lá no cimo, já com 25 Kms e a pedalar acima da cota dos mil metros a neve em abundância existente no caminho tornava tudo mais duro e mais lento.

Kameamea

Falta um....

Ah.... já aí vem!






Continuando a nossa jornada, como da para ver nas fotografias, o que nos ia valendo é ter alguns rodados de jipes, pois as vezes tínhamos que abrir trilho com as rodas da bicicleta.




À medida que nos iamos mais para Oeste, a caminho de Malhapão de Cima, a neve ia sendo mais rara e já só necessitavamos de redobrar a atenção nas descidas.









No nosso percurso, descemos para Varzielas, já na encosta Norte da Serra do Caramulo. Aí estivemos parados cerca de 1 hora pois estava a caminho um outro grupo de Viseu que tinha tido um problema com o GPS. 
O ponto de encontro foi num tasco da aldeia, mas depois do Ricardo passar novamente o track para estes companheiros seguimos viagem pois já estávamos parados a muito tempo e o corpo começava a queixar-se dos maus tratos.



Para não perder tempo, pois fazia-se tarde, fizemos a ligação Varzielas-Bezerreira por alcatrão.
O dia começava a ficar pequeno, pois com a lenta progressão na zona da neve e com esta paragem começávamos a comprometer o regresso a Viseu com luz do dia.

Se tivesse mar ao fundo poderiam ser os Açores, 
mas como tem montes é a Serra do Caramulo



Chagámos assim a Malhapão de Cima. A ultima vez que aqui passei foi numa investida em manga curta desde Águeda, guiados por outro amigo do pedal, o Paulo Dias que conheci na Invernal em 2006.
O famoso livro que marca a assiduidade do pessoal, já não estava no local, pois nós já não chegamos propriamente cedo, mas já está combinado com o Hernâni "Cagareu" que em breve juntamos uma malta numa voltinha para deixarmos as nossas assinaturas.
A tropa dos Biriattus e do Clube de Montanhismo da Guarda

Este assalto combinado de boca em boca, está a dar um resultado interessante. Segundo o amigo Hernâni, no assalto deste ano passaram pelo Malhapão de Cima e pelo Caramulinho cerca de 300 BTTistas, de vários cantos do país e que partiram dos mais variados recantos dos arredores da Serra do Caramulo.
Caras conhecidas destas andanças e de outras encontraram-se aqui em Malhapão de Cima, e andávamos todos "mascarados".

Deixando Malhapão de Cima

Caramulinho à vista


Já se pedalava da parte da tarde. A nossa passagem pelo ponto mais alto da Serra do Caramulo, ficava-nos no caminho de regresso a Viseu.



Fomos picar o ponto ao Caramulinho perto das 15:00. As vistas eram magnificas. O frio marcava presença, mas à nossa volta a neve e o céu azul misturado com alguma neblina proporcionava-nos uns bons momentos.






Com cerca de 50 Kms os 7 bem disposto e animados bravos deste pelotão, chegaram ao Caramulinho. Como dá para ver não há nenhum que não esteja a sorrir :)

Restava-nos o regresso a Viseu o mais rápido possível, pois os dias são cada vez mais curtos. 
Descemos ao Caramulo, a Santiago de Besteiros e entre atalhos de alcatrão e ciclovias chegámos passadas duas horas e pouco a Viseu. Depois da banhoca em casa do Ricardo e antes de cada um regressar a casa ainda fomos petiscar, pois o corpo já pedia reposição de combustível.


O resultado deste excelente dia de BTT rendeu 90 Kms, 1900 metros de desnível vencido, umas tantas horas a pedalar com malta 5 estrelas, algum frio, paisagens espectaculares. Tudo o que é necessário para um dia a pedal muito bem passado. Obrigado a todos.

7 comentários:

Sérgio Santos disse...

Não haja dúvida que foi duro mas que valeu a pena. Obrigado pela companhia que foi espectacular. Para o ano contem comigo hehe

Hernâni disse...

Bom rescaldo e boas fotos,agora temos de acertar uma data para dar umas pedaladas e assinarem o livro do assalto.

Alberto disse...

Fantástica reportagem Pedro, estas de Parabéns junto com todos aqueles que foram e voltaram.

Grande Abraço.

www.daonelas.com

Daniel Lopes disse...

Valentes!!!

Tiaguss disse...

Foi uma boa actividade e em boa companhia.
Parece-me o mote para mais umas tantas actividades para o futuro :)
Hernâni, esta malta logo combina uma investida em conjunto, para por o carimbo no livro. Tudo é desculpa para mais uma boa volta :)

Abraço
Tiago Lages

Anónimo disse...

Ando com uma ideia de fazer uma travessia na serra da estrela. Tinha pensado ligar folgosinho-vale da amoreira-poço do inferno-covão da ametade-penhas da saude-unhais-erada para comer o belo cabrito da erada...que me dizem? La para a primavera...

Abraço
Rodolfo Feitor

Tiaguss disse...

Tb conheces o cabrito aqui da encosta da serra :)
No ano passado tb conciliamos uma volta com esse mesmo cabrito. Logo marcamos isso.

Abraço
Tiago Lages