quarta-feira, janeiro 01, 2014

A primeira (molha) do ano


Mais um ano....
Feliz 2014. Tudo de bom para todos.


Como a passagem de ano desta vez calhou a meio da semana, o pessoal dispersou um pouco e não deu para as saudáveis maluqueiras dos últimos dois anos (2012, 2013). Mas ainda se esteve na eminencia "de"..... No entanto, por diversas razões de ultima hora, alteraram-se alguns planos. 
O primeiro dia de Janeiro de 2014, não apareceu convidativo para sair à rua. No entanto a vontade de ir à rua é sempre muita.


Já passava das 10:30, sem nada combinado e com vontade de dar as primeiras pedaladas do ano, saí mesmo a chover. O nevoeiro era uma constante que somente deu algumas tréguas no Ourondinho e nas Cortes de Baixo.
Sem grandes planos, mas a querer fazer uma volta "boazita", no Ourondinho decidi subir. A chuva nunca deixou de cair, por vezes dava sinal de querer acalmar e de vez em quando caía toda de uma só vez.


Rapidamente fiquei um pito ensopado de alto abaixo. Por muito que o material seja bom, também tem limites e com o uso esses limites vão ficando cada vez mais aquém do necessário. Mesmo assim com um andamento constante e sem paragens o corpo não sofre tanto.




Agua foi coisa que nunca deixei de ver, alias, era o que mais via. As linhas de agua levavam tanta que por vezes o barulho confundia-me com o motor de um carro. Isso a juntar ao barulho do vento, claro. 



Assim que o caminho à beira do canal terminou e passou a asfalto, as condições de chuva e vento agravaram-se sem voltar a ter um momento de acalmia.
A chuva caía certinha e em força. O corpo molhado começava a arrefecer e a querer um pouco mais de conforto, mas nestas andanças toda a cautela é pouca. Trazia comigo um casaco intermédio para vestir entre o impermeável e a camisola interior e umas luvas secas para reforço. A ideia de ainda subir à torre, coloquei-a de lado, pois com aquele nevoeiro e estando as estradas abertas, repetir a subida de 2009, não obrigado. 


Dois Kms antes dos Piornos, fiz a muda estratégica. Vesti o casaco suplente para manter o impermeável (ensopado) fora do contacto do corpo, coloquei uma luvas secas nas mãos e senti-me como novo. Estava pronto para outro tanto.
No Covão da Mulher só vi praticamente uma casa. Cheguei aos Piornos e estava na hora de descer. Era bem mais fácil subir, mas o almoço estava lá em baixo.



A descida foi o massacre do dia. Entre os Piornos e o Sanatório dos Ferroviários, a chuva batida a vento era misturada com gelo. Nem a barba ajudava a proteger dessas pedradas. Claro se estava molhado, com a descida feita em alcatrão, molhei o que faltava molhar ainda antes de chegar às Penhas da Saúde.
Ao chegar a casa, tudo ficou de lado para não causar nenhuma inundação em casa. E se o dia começou a trocar uma fralda antes de sair à rua, quando cheguei já estava na hora de trocar mais uma. É uma cereja em cima do bolo bem diferente, mas possa...... como nos trás tanta felicidade.

Boas entradas e Feliz 2014 a todos. Tudo de bom..... e boas pedaladas.

3 comentários:

Coelho disse...

Aí está uma voltinha bem regada!
Bom ano Tiago!

Antonio Parracho disse...

Irra, saiste às 10:30, foste aos Piornos por Unhais e vieste almoçar a casa... se não fosse o temporal com certeza fazias esta volta antes do pequeno almoço! :)

A última vez que fiz essa subida em OUT o tempo estava +- e demorei umas 3 horas... só a chegar aos Piornos...

Grande abraço campeão!!!

Tiaguss disse...

Oh To Manel, mas já almocei tarde :) Já cheguei a casa perto das 14:00.
Coelho, To Manel um bom ano!!
Abraços