sábado, dezembro 01, 2012

Assalto ao Caramulo 2012


E depois de dias sem bicicleta e só a ver pedalar, o primeiro de Dezembro foi dia de irmos para os trilhos. O Assalto ao Caramulo, é um ajuntamento BTTistico que tem como ponto comum a subida ao caramulinho, por parte de vários grupos de amigos que se reúnem nas diversas encostas desta serra. Participei nesta investida por duas vezes e sempre com inicio em Viseu (2010, 2011). Este ano de forma a simplificar a volta e conseguir mais companhia da Guarda o inicio foi em Tondela. 

O Mané chegou à Guarda às 8:00. Depois de uma noite de trabalho saltou logo para o volante da nossa viatura, carregada de bicicletas (nove).


A malta de Tondela, iniciou o assalto às 8:00. Como nós não tivemos hipótese de alinhar nesse horário e nesse programa, fomos por nossa conta. Arrancámos do Parque Urbano de Tondela (PUT) e tínhamos tudo bem orientado graças a ajuda do general local Ernesto Santos. Para ele o nosso obrigado, pela simpatia e disponibilidade.


Aos 9 que saíram da Guarda, juntou-se mais um guardense, o Ricardo Marques. Não vinha do baile do Vale do Porco como vemos na fotografia acima, mas vinha de Coimbra. Estava assim composto o grupo de 10 artistas do Clube de Montanhismo da Guarda.





Alternamos os primeiros Kms entre a terra e o alcatrão. Como partimos às 10:30 de Tondela, não queríamos andar a "engonhar" antes de atingir o objectivo e a horas decentes.






Foi por Marruge que sentimos a envolvência destes encostas do Caramulo. Ao mesmo tempo que avistávamos a aldeia por onde íamos passar, distinguíamos alguns vultos no topo da serra.



Iniciamos ali a "verdadeira" subida do dia, pois até aqui tinha sido a brincar. 





A pouco e pouco o desnível ia-se vencendo, nem se dava conta. Boca daqui, boca dali, "acelera que a curva é boa", "retintas", javalis, etc....
A boa disposição reinava a todo o momento.



Depois do javali, abriram-se os nossos horizontes e pudemos contemplar as vistas desta encosta. Já por aqui tinha andado um dia a convite do amigo Paulo Dias.


Começamos aqui a apanhar movimento. Daqui para a frente era boa ideia não andar fora de mão. Muita gente a descer, já a fazer o regresso e ainda alguns no mesmo sentido que nós.








Malhapão de Cima


A malta ia animada e com bom ritmo. Decidiu-se não fazer a paragem no Malhapão à ida e optamos por parar no regresso.
Entre a aldeia e o Caramulinho encontrei muitas caras conhecidas, muitos amigos destas andanças e até de outras. Encontrei à saída o Pedro Fonseca (irmão do Joca e companheiro da montanha) com outro companheiro o Evaristo. Ainda tive a oportunidade de dois dedos de conversa com  o amigo Tó Gonçalves, o Hernâni (com direito a foto para registar o momento), Pedro Mendes e o Ernesto (o general de Tondela). É este "acaso" que dá um toque especial a este dia a este ajuntamento.

Registo com este grande companheiro, Hernâni "Cagareu"





Ao contrário de outros ano que quando aqui chego já não vejo quase ninguém, desta vez havia muita malta. O dia também estava bom, não havia neve, não havia chuva, estava frio, mas nada que fosse insuportável.


Fomos então picar o ponto ao Caramulinho. Subida dura, esta aqui.....




Lá em cima..... as vistas não podiam ser melhores....

A tomar balanço.....

Luís Venâncio um nadinha mais alto que a Guarda...

O arqueiro lá do sitio....

E o que ia ficando sem foto de grupo....



Os 10 do Clube de Montanhismo da Guarda que marcaram presença neste assalto.

O bonito planalto do Caramulo.


Descemos novamente ao Malhapão de Cima, fui ao tasco com o Ricardo assinar o livro e quando cheguei novamente ao pé da malta já estavam orientados.


A um vendedor ambulante, já tinham comprado cerveja e uma posta de bacalhau para o petisco. Não foi preciso pensar muito quem foi o "desenrascado" que orientou o abastecimento. O gajo que passou o dia a mandar "postas de pescada" arranjou aqui as postas de bacalhau. A boa disposição de todos estava a vista, mas o destaque sem duvida que vai para o Rui Venâncio. Bem..... na próxima volta com o Nelson e com o Rodolfo é bom que alguém tome medidas para mediar a saudável parvoíce. 



Os restos foram para um bichano local, mas teve azar pois só sobrou bacalhau....



Saímos do Malhapão por alcatrão e logo de seguida calçada. Das boas.



Carvalhal, um pequeno povo abandonado.


Tínhamos pela frente uns bons quilómetros de descida. E na descida houve de tudo. Houve quem fosse ao tapete, duas vezes, houve quem fosse só uma, houve quem estivesse quase....




Houve quem molhasse o pé, houve quem desmontasse e fosse à volta.




Houve paragem para comer medronhos, houve paragens para reagrupar e houve sempre sempre, acima de tudo boa disposição.






E os 10, chegámos a Tondela. Chegámos, comemos uma bucha e rumamos a casa. Uma actividade bonita, um passeio excelente, mais ainda quando é feito com este espírito e na companhia de amigos.

Mané, João Luís, Ricardo, Tiago, Joca, Morais, Luís Venâncio, Sérgio Currais, Vicente e Rui Venâncio.
(em.... descubram)

O track do dia! Voltinha mais curta que os anos anteriores mas não menos meiga com 1500 metros de desnível vencido em 46 Kms.


5 comentários:

Silverio Correia disse...

Que MARAVILHA!
Um Abraço
Silvério

Pedro Mendes disse...

MAis um excelente relato, como já é habito, descreve perfeitamente o espirito deste assalto, temos k combinar uma volta no genero para dar a conhecer a nossa serra.. Abraço

Sérgio Santos disse...

E eu como habitual parti de Viseu :) não sabia que também tinham ido...
Abraço.

Tiaguss disse...

Foi um dia bem passado, como o amigo Silvério costuma dizer, um passeio com 4 P's :)

Oh Pedro Mendes, na primavera temos de juntar "as maltas" para uma voltinha na serra aqui ao lado.

Sérgio, este ano fizemos um volta mais curta, para convencer mais malta aproveitamos para conhecer outros caminhos. :)
Grande abraço a todos

Tiaguss disse...

Carlos Fig./Tortozendo, para o ano se quiseres alinhar é só dizer :)
A aldeia abandonada tem o nome de Carvalhal, só agora tive tempo de procurar :)
Abraço